domingo, 30 de março de 2014

008-15 Mashup


Definições:



  1. Mashup é uma canção ou composição criada a partir da mistura de duas ou mais canções pré-existentes, normalmente pela transposição do vocal de uma canção em cima do instrumental de outra, de forma a se combinarem. Na medida em que os mashups são "transformações" de conteúdos originais, eles podem encontrar proteção de reivindicações de direitos autorais no âmbito do "fair use", doutrina da lei de direitos autorais.
  2. Mashup é um processo de criação artístico a partir de outras obras já existentes por meio da mistura, combinação, modificação, edição e recombinação de trechos de duas ou mais dessas obras. Na música por exemplo, o mashup é um tipo de canção em que ela é inteiramente composta como o resultado da mixagem de duas ou mais canções já existentes, geralmente de diferentes gêneros. No vídeo, os mashup são o resultado da edição de várias fontes de imagem de forma a configurar uma nova obra. Os mashups musicais são conhecidos também como "bootlegs", principalmente na Europa, ou "blend". Basicamente, eles são o resultado da sobreposição do vocal de uma canção sobre a parte instrumental de outra(s) de forma a ser transformativo. No começo, esse tipo de obra musical foi classificada como "pop bastardo". Há muita polêmica sobre a questão dos direitos autorais nesse tipo de criação. O termo mashup aplica-se também na Internet para os websites que usam conteúdos de outros sites para oferecer um novo serviço.



Música foi grande laboratório de tudo


A música parece ser o boi-de-piranha favorito da internet. Sempre que surge alguma novidade na rede, é sempre bom procurar uma contrapartida musical - é quase uma regra que algo foi testado antes usando música como principal elemento.

Foi assim com a digitalização de arquivos (o MP3) e seu compartilhamento via P2P (o Napster) e com a nova geração de aparelhos portáteis (consagrada com o iPod). E assim também ocorreu com os mashups, que, antes de virarem aplicativos na rede, eram canções que juntavam elementos de músicas pré-existentes, sem esconder ou maquiar suas origens.

Colagens entre obras de artistas diferentes ocorrem desde que o mercado de discos passou a dar seus passos com mais firmeza (as experiências do francês Pierre Schaeffer,



 que colocava quatro vitrolas tocando simultaneamente, datam dos anos 50). O sample, criado nos anos 80, deflagrou uma renascença de colagens sonoras e deu origem ao conceito moderno do remix, mas logo os advogados dos direitos autorais vieram cortar as asas dos novos artistas - e os DJs passaram a esconder as músicas que sampleavam, usando técnicas de gravação.



 e o produtor inglês Freelance Hellraiser inauguraram a época do mashup moderno.



 Os primeiros lançaram um disco que tinha quase 50 pedaços de músicas conhecidas que se cruzavam entre si, enquanto o segundo criou a música que deu origem ao gênero. Ao fundir o vocal de Christina Aguillera com o instrumental do grupo Strokes, criou a música "A Stroke of Genie-us", que originou um subgênero chamado "bastard pop" - base do gênero musical que hoje chamamos de "mashup".



Outros exemplos muito interessantes para vocês curtirem:






Fontes:
Lazer HSW
Wikipedia
Alexandre Mathias (Agência Estado)



Página Anterior          Próxima Página



008-14 Emos


Emocore comercial (hardcore emocional)



Discriminação e ódio


Devido ao surgimento e ascensão mainstream de bandas de Pop punk — e não Emo, mas rotuladas como tal por quase toda a sociedade — com nível de qualidade musical questionável segundo certos grupos de fãs de outros gêneros de Rock, os mesmos associam os fãs de Emo a depressivos de orientação sexual questionável (o que segundo eles é um motivo para as manifestações de ódio) e os fãs de Emo segundo o estereótipo sofrem de agressões verbais, em alguns casos até mesmo agressões físicas. O ódio cresce no Brasil mais rapidamente que o gênero musical Emo, que encontra-se ainda praticamente desconhecido por todo o mundo, ao contrário das bandas de Pop punk rotuladas como Emo e da subcultura que imagina-se como um estereótipo dos fãs de Emo. Como o Brasil é um dos países campeões mundiais em homofobia, o ódio às citadas bandas e subcultura se tornou um grande alvo de polêmica da sociedade, que em sua maioria passou a concordar com os grupos anti-Emo.


 Fenômenos parecidos se formaram no México, nos Estados Unidos, no Reino Unido, na Alemanha, na Polônia e na Rússia, nas 3 últimas os membros da "subcultura Emo" são frequentemente visados por ataques praticados por grupos neonazistas.


Chegada ao Brasil


No Brasil, o gênero se estabeleceu sob forte influência norte-americana em meados de 2003, na cidade de São Paulo, espalhando-se para outras capitais do Sul e do Sudeste, e influenciou também uma moda de adolescentes caracterizada não somente pela música, mas também pelo comportamento geralmente emotivo e tolerante, e também pelo visual, que consiste em geral em trajes pretos, listrados, Mad Rats (sapatos parecidos com All-Stars), cabelos coloridos e franjas caídas sobre os olhos.



 Porém, os fãs das bandas emo no Brasil até então conhecidos faziam parte do estilo HxCx, e a criação dos modernos esteriótipos sobre os mesmos, como as franjas, se deu a partir do começo do Século XXI. Fãs modernos das bandas de emotional hardcore do Século passado geralmente são membros da subcultura Indie, pois existe uma polêmica de que as bandas tidas no senso-comum como Emotional Hardcore são na verdade Pop Punk ou pertencentes a outros gêneros, ao mesmo tempo chamando o emotional hardcore do Século passado de Real Emo, sendo o anterior considerado superior por motivos que variam desde seus temas mais artísticos e mais profundos, até um instrumental de melhor qualidade e complexidade. Isso explica a diferença entre fãs de "estilo Emo" e fãs da subcultura Indie. Entretanto, o conhecimento do Real Emo ainda pertence a um Universo extremamente alternativo.

Entretanto, cenas de emotional hardcore e indie emo já estavam estabelecidas em cidades como São Paulo e Curitiba desde antes disso, tendo como exemplo a banda paulistana Dance of Days, de 1997.




Origem dos emos


Existem várias versões que tentam explicar a origem do termo "emo", como a que um fã teria gritado "You´re emo!" (Você é emo!) para uma banda (os mitos variam bastante quanto a banda em questão, sendo provavelmente o Embrace



 ou o Rites of Spring).



No entanto, a versão mais aceita como real é a de que o nome foi criado por publicações alternativas como o fanzine Maximum RocknRoll



 e a revista de Skate Thrasher



 para descrever a nova geração de bandas de "hardcore emocional" que aparecia no meio dos anos 80, encabeçada por bandas da gravadora Dischord de Washington DC, como as já citadas Embrace e Rites of Spring, além de Gray Matter,



 Dag Nasty



 e Fire Party.



Nesta época, outras bandas já estabelecidas de hardcore punk, como 7 Seconds,



 Government Issue



 e Scream



 também aderiram à esta onda inicial do chamado "emocore", diminuindo o andamento, escrevendo letras mais introspectivas e acrescentando influências do rock alternativo de então.

É importante lembrar que nenhuma destas bandas jamais aceitou ou se autodefiniu através deste rótulo. A palavra "Emo" é vista como uma piada ou algo pejorativo e artificial.

O gênero ou pelo menos o clássico estilo de Washington, o DC vocais abrasivos e passionais.

Após a supervalorização inicial da intensidade e da sonoridade caótica, o emotional hardcore sofreu um processo de "desaceleração". As bandas Sunny Day Real Estate



 e Mineral basearam seu estilo no Rites of Spring, outra banda do gênero emo.





Fontes:
AVDD dos Emos
Amor de Estilo



Página Anterior          Próxima Página



008-13 J-Pop - Japão


O J-pop foi durante toda a década o ritmo mais conhecido do Japão, alavancado principalmente por Ayumi Hamasaki.












Página Anterior          Próxima Página



008-12 Brasil Diversos-ritmos 07


 e a música católica popular com artistas como Adriana,



os Padres Marcelo Rossi



 e Fábio de Melo,



 e além de bandas como Anjos de Resgate



 e Rosa de Saron.




Ivete Sangalo,



 Banda Calypso e Padre Marcelo Rossi foram os artistas que mais fizeram sucesso no período, tanto por vendas, como por popularidade.

Artistas dos Estados Unidos e outros países fizeram muito sucesso aqui no Brasil com destaque principalmente para Britney Spears, Beyoncé, Chris Brown, Shakira, Pink, Eminem, Madonna, Lady Gaga e Black Eyed Peas.



Página Anterior    01    02    03    04    05    06    07    Próxima Página


008-12 Brasil Diversos-ritmos 06


A música Sertaneja continuou a representar uma grande parte da música nacional, principalmente nas duplas como Zezé Di Camargo e Luciano,



 Bruno e Marrone



 e a já antiga mas que só conseguiram explodir quase no final da década Victor e Léo.




A música religiosa tornou-se popular também principalmente entre os cristãos como a música gospel com artistas como Aline Barros,



 Kléber Lucas,



 Toque no altar,



 Regis Danese,



 Oficina G3,



 e Diante do Trono




Página Anterior    01    02    03    04    05    06    07    Próxima Página


008-12 Brasil Diversos-ritmos 05


O Axé que na década anterior dominava as rádios de todo país, entrou em declínio, se restringindo a Salvador, muitas vezes sendo substituído pela suingueira. Poucos artistas e bandas antigas como Ivete Sangalo, Chiclete com Banana, Daniela Mercury e Asa de Águia com uma vertente voltada mais pro Pop, ainda desfrutaram do sucesso nacional. Cláudia Leitte que fazia parte do grupo Babado Novo, foi a única grande revelação do axé nesta época.



A chamada nova geração da MPB também fez muito sucesso em todo o período, nomes como Jorge Vercilo,



 Ana Carolina,



 Vanessa da Mata,




 Lenine



 e Maria Rita.



 Alguns nomes consagrados conseguiram continuar a fazer sucesso como Zeca Pagodinho,



 Seu Jorge



 e Alcione.






Página Anterior    01    02    03    04    05    06    07    Próxima Página


008-12 Brasil Diversos-ritmos 04


 e Tati Quebra-Barraco



 e mais recentemente com MC Créu,



 Gaiola das Popozudas



 e as chamadas Mulheres Fruta.



O forró e o calipso sofreram um enorme renovação trazendo letras com um conteúdo que atrai principalmente os jovens e substituindo-se a tradicional sanfona por guitarras. O celeiro do forró continua sendo o Ceará. Já no norte do país o destaque ficou com o estouro do calipso, que se separou estilisticamente da lambada e tomou seu próprio rumo na voz da cantora Joelma. As principais bandas foram: Banda Calypso (calípso),



 Cavaleiros do Forró (forró),



 Calcinha Preta (forró),



 e Aviões do Forró (forró).




Página Anterior    01    02    03    04    05    06    07    Próxima Página


008-12 Brasil Diversos-ritmos 03


 NX Zero



 e Strike.




Outras bandas de Rock e do Pop dos anos 80 também voltam a ter força como Capital Inicial,



 Ira!,



 Roupa Nova



 e Biquini Cavadão.




No fim da década com a popularização das raves, o psy trance e o tecno tornam-se muito popular entre adolescentes.

O Funk carioca volta a ser popular durante todo o período, com artistas que fizeram sucesso no começo, como Bonde do Tigrão,



 Mc Serginho



 e DJ Marlboro,



 passando depois por MC Leozinho




Página Anterior    01    02    03    04    05    06    07    Próxima Página


008-12 Brasil Diversos-ritmos 02


Antigas bandas de pop, pop rock, reggae e hardcore voltam e continuam a fazer sucesso como O Rappa,



 Skank,



 Jota Quest



 e Charlie Brown Jr.



No início e meio dos anos 2000 artistas de rock alternativo e pop rock faziam imenso sucesso no Brasil, como Detonautas,



 Pitty,



 CPM 22



 e Angra,



 posteriormente, bandas formadas no início do período e final dos anos 90 surgiram no topo das paradas brasileiras como Fresno,




Página Anterior    01    02    03    04    05    06    07    Próxima Página


008-12 Brasil Diversos-ritmos 01


No Brasil, o R and B americano e o pop rock é dominante nas rádios populares das grandes cidades. Porém, existem diversos movimentos populares que acabou popularizando novos ritmos ao longo da década como o forró moderno e o funk carioca, além de diversos ritmos estrangeiros virarem febre entre os jovens.

No começo da década artistas pop como Kelly Key,



 Rouge,



 Br'oz



 e Latino



 e Luka atingiram seu auge, perdendo posteriormente popularidade no meio para o fim da década.




Marisa Monte no início da década dos anos 2000 lançou poucos trabalhos três (3) discos de estúdio que atingiram a marca de 1,800 milhão no Brasil



 e fez parte do grupo Tribalistas junto com Arnaldo Antunes e Carlinhos Brown que atingiram a marca de 1,500 milhão no Brasil, e no exterior atingiu 2,500 milhão, no final desta década Marisa Monte atingiu a marca de 5,850 milhões de CDs e DVDs vendidos no Brasil é 10 milhões no mundo, sendo a cantora de MPB que mais vendeu.




Os ritmos de sucesso no país no final dos anos 90 como o axé e o pagode deram espaço às novas tendências como o funk carioca e o forró eletrônico.

Surgem novas bandas de sucesso no fim da década no cenário pop-reggae como Chimarruts



 e Natiruts.




Página Anterior    01    02    03    04    05    06    07    Próxima Página


008-11 América Latina - Caribe 02


Shakira torna-se dominante no cenário pop com singles de sucesso como "Whenever, Wherever",



 "Underneath Your Clothes",



 "La Tortura"



 e "Hips Don't Lie".




A música mexicana também cresce com Jenni Rivera



 e a lenda mexicana Vicente Fernández.




A banda RBD torna-se um enorme sucesso no meio da década, mas acaba se separando tempos depois.




Página Anterior          01          02          Próxima Página


008-11 América Latina - Caribe 01


Em 2004, o reggaeton tornou-se muito popular nos países latinos com artistas como Don Omar,



 Daddy Yankee



 e um pouco depois, Wisin and Yandel.




O pop rock começa a voltar ao cenário latino com artistas como Camila,



 Kany García,



 seguidos por Pepe Aguilar



 e o ex-OV7, Kalimba.




No próximo post veja quatro vídeos de Shakira e outros ...



Página Anterior          01          02          Próxima Página


008-10 Pop - Austrália e Nova Zelândia


O pop ganhou espaço nos dois países, com Kylie Minogue



 e Delta Goodrem.



O seriado The O.C. ficou popular na Nova Zelândia por ter na trilha sonora,



 músicas de diversas bandas do país como Evermore



 e Youth Group.




Página Anterior          Próxima Página



008-09 Rock - Austrália e Nova Zelândia


Diversos grupos de novas formas de rock e rock alternativo surgem no começo da década dos anos 2000, como The Vines






 e Jet



 que depois deram espaço a Evermore



 e Wolfmother e vários outros no fim da década.




Página Anterior          Próxima Página



008-08 Hip-hop e R&B Austrália e Nova-Zelândia


O Hip-hop e o R and B tornam-se bastante populares nesses dois países, especialmente na Nova Zelândia.






Alguns vídeos da Austrália








Página Anterior          Próxima Página



008-07 Pop Europa


As bandas formadas por rapazes não desapareceram completamente, mas acabaram se transformando em bandas pop/pop-rock punk como Busted



 e McFly.



Artistas de animação tornam-se populares como Crazy Frog



 e Gorillaz.







Grupos formados por garotas são populares durante grande parte dos anos 2000. Como a banda russa t.A.T.u. que se torna a banda mais popular do leste europeu e ainda é única banda russa a ganhar sucesso na mídia internacional. (Dois vídeos em inglês e o terceiro na língua russa)








No Festival Eurovisão da Canção participam diversos artistas revelação da Europa. Conheça este festival que foi criado em 1956.  (Veja todos os vencedores na Playlist do festival desde os anos 2000 em diante).




Página Anterior          Próxima Página



008-06 Rock Europa 02


 Bloc Party,



 The Libertines,



 Editors,



 Lily Allen,



 Kate Nash



 e The Ting Tings.



Página Anterior          01          02          Próxima Página



008-06 Rock Europa 01


Bandas pós-Britpop como Coldplay,



 Keane



 e Muse tornam-se bastante populares.




O indie rock e indie pop volta com a sua popularidade, em meados dos anos 2000 com artistas como Arctic Monkeys,



 Franz Ferdinand,



 Amy Winehouse,



 Kaiser Chiefs,




Página Anterior          01          02          Próxima Página



008-05 Dance Europa


O DJ David Guetta - O Electro junto com o House torna-se popular em meados da década, substituindo as influências do jazzy e latinas do início de 2000. O Electro House torna-se popular em clubes ao redor do mundo com grupos como MSTRKRFT



 e Justice.



 Tornando popular o Live PA, que é o ato de remixar músicas ao vivo para um público. O Dubstep



 e Bassline conseguiu se firmar no cenário europeu, tornando-se bastante famoso.




Página Anterior          Próxima Página



008-04 Dance Music EUA Reino-Unido Canada


A Dance music teve altos e baixos nos anos 2000. Os singles de DJ Sammy fazem muito sucesso na primeira década,



 mas acabaram perdendo a popularidade no meio da década. Desde 2007, a música Dance voltou a fazer sucesso com os singles "Don't Stop the Music"


 e "Disturbia" de Rihanna, com Kylie Minogue (só vídeo com Rihanna), e David Guetta com "Love Is Gone",



 "Baby When the Light"



 e "When Love Takes Over".




Página Anterior          Próxima Página

008-03 Pop EUA - Reino-Unido - Canada 04


O pop dos anos 80 influenciou diversos artistas atuais como Rihanna no single "S.O.S.",



 Flo Rida em "Right Round"



 e Pink em Sober.




Inspirando-se nos anos 70, a música pop também gerou sucessos no começo para o meio desses anos, como Sean Kingston que utilizou o ritmo da música "Stand by Me" de Ben E. King no single de 2007, Beautiful Girls.




Página Anterior     01     02     03     04     Próxima Página


008-03 Pop EUA - Reino-Unido - Canada 03


 P!nk



 e Kelly Clarkson.



 Além dessas, os hits dance de Cher como Song for the Lonely (#1 por 21 semanas consecutivas no Hot Dance Singles Sales)



 e Madonna como "Hung Up" (#1 nas paradas de 45 países) fazem enorme sucesso.



 Lady Gaga lançou vários hits do gênero como "LoveGame" (O vídeo, está na página anterior), "Poker Face"



 e "Just Dance".



 O grupo Black Eyed Peas também começou a usar auto-tune no álbum The E.N.D. nos single "Boom Boom Pow" e "I Gotta Feeling" (são as últimas músicas do vídeo), ambos grandes sucessos nas paradas.



 E também o girl group The Pussycat Dolls, que vem sendo o grupo feminino de Pop, Dance, R and B e Hip-Hop mais bem sucedido atualmente, com vários hits, com destaque para "I Hate This Part",



 "Hush Hush"



 e "Jai Ho".




Página Anterior     01     02     03     04     Próxima Página